China agradece Brasil por postura sobre o Tibete e os Jogos Olímpicos

Pequim - O ministro de Assuntos Exteriores chinês, Yang Jiechi, elogiou a posição do Brasil sobre o conflito no Tibete e os Jogos Olímpicos, em uma conversa por telefone com o chanceler brasileiro, Celso Amorim, publicou hoje a imprensa estatal.

EFE |

Durante a conversa, que aconteceu nesta segunda-feira, Amorim reafirmou que seu país considera que o Tibete é uma parte inalienável da China e se mantém firme em seu apoio à política de uma só China, disse a imprensa local.

Além disso, enviou seu respaldo aos Jogos de Pequim e desejou o sucesso da competição. O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) rejeitou o boicote aos Jogos por motivos políticos.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou esta semana que não assistirá à cerimônia de abertura dos Jogos, mas assinalou que sua decisão não está ligada a razões políticas.

Comitê pede solução

O presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge, pediu, nesta segunda-feira, a China que encontre uma solução "rápida e pacifica" para a questão do Tibete. Em Pequim, Rogge condenou as recentes tentativas de interromper o percurso da tocha olímpica como forma de protesto pela independência tibetana, e enfatizou que qualquer ato de violência, independente dos motivos, é incompatível com os valores olímpicos.

Rogge fez as declarações ao abrir o encontro de três dias do Comitê Olímpico nacional na capital chinesa.

AP
AP
Manifestantes protestam em Paris
Enquanto isso, a China chamou de "maldosas" as tentativas de apagar a chama olímpica durante a passagem da tocha por Londres, neste fim de semana.

Sun Weide, porta voz do Comitê dos Jogos Olímpicos de Pequim, disse que os protestos são "obra de alguns tibetanos separatistas" que estariam tentando "sabotar a passagem da tocha". Manifestantes apagaram hoje a tocha olímpica duranta sua passagem por Paris.

A pira chegou à capital francesa na noite de domingo sob forte esquema de segurança para impedir que novos protestos atrapalhem a celebração.

(*Com informações da agência AFP e BBC)

Leia mais sobre: Tibete


    Leia tudo sobre: tibete

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG