China afirma que questão do Tibete não está relacionada com direitos humanos

O presidente chinês, Hu Jintao, assegurou neste sábado que os problemas do Tibete não estão relacionados com os direitos humanos e sim é uma questão de soberania nacional.

AFP |

"Nosso conflito com a camarilha do Dalai Lama não é um problema étnico, nem um problema religioso, nem um problema de direitos humanos. Trata-se de preservar nossa soberania nacional ou deixar que a pátria se fragmente", declarou o presidente chinês, citado pela televisão estatal e pela agência oficial Nova China.

Hu fez essas declarações durante um encontro com o primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, em Sanya (sul da China), na ilha da Hainan, onde neste sábado acontecerá a cúpula econômica regional, o Fórum de Boao para Ásia.

O mandatário chinês aproveitou a ocasião para responder aos que, como Estados Unidos e França, pedem que Pequim dialogue com o líder espiritual dos tibetanos.

"A porta para o diálogo com o Dalai Lama continua aberta", afirmou Hu Jintao.

"Atualmente, os obstáculos para os contatos não vem do nosso lado, e sim do lado do Dalai Lama", disse.

A China acusa do líder espiritual, que vive exilado na Índia, de ter fomentado as manifestações em Lhassa, capital do Tibete, que começaram em 10 de março.

ph-frb/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG