China acusa embarcação dos EUA de violar zona econômica exclusiva

Pequim, 6 mai (EFE).- O Governo chinês acusou hoje um navio da Marinha dos Estados Unidos de realizar atividades ilegais em sua zona econômica exclusiva no Mar Amarelo, entre a China e as Coreias, no que foi o quinto incidente deste tipo entre Pequim e Washington nos últimos dois meses.

EFE |

"O navio americano 'Victorious' conduziu atividades na zona econômica exclusiva chinesa do Mar Amarelo sem a permissão da China", afirmou hoje o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores chinês, Ma Zhaoxu.

Em comunicado divulgado no site do ministério, Ma acrescentou que o Governo da China "expressou sua preocupação" sobre o que considera uma incursão que viola as leis chinesas e internacionais.

"Pedimos aos EUA para que tomem medidas efetivas com o objetivo de prevenir atos similares no futuro", acrescentou o porta-voz.

O conflito ocorreu na sexta-feira passada, quando navios pesqueiros chineses "acossaram" o "Victorious" no que Washington considera uma zona de águas internacionais no Mar Amarelo.

Da mesma forma que nos eventos anteriores, Ma assegurou que seu país aplica nestes casos leis internacionais como a Convenção da ONU sobre Legislação Marítima e a de Zonas Econômicas Exclusivas, além de legislações nacionais como a Lei de Plataforma Continental sobre Pesquisa Marítima Estrangeira.

No entanto, "duas embarcações se aproximaram a menos de 30 jardas (27 metros) do 'Victorious' de maneira insegura e perigosa", diz um comunicado do Pentágono.

Outros quatro navios desarmados americanos usados para vigilância marítima e detecção de submarinos se envolveram nos últimos dois meses em incidentes similares com pesqueiros de bandeira chinesa em zonas litorâneas do país asiático. EFE mz/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG