China acusa dalai lama de mentir sobre situação no Tibete

Pequim, 10 mar (EFE).- O Governo chinês disse hoje que as afirmações do líder espiritual tibetano, o dalai lama, sobre a morte de centenas de milhares de tibetanos desde a ocupação chinesa da região é falsa, quando se completam 50 anos da revolta fracassada contra a China.

EFE |

"O grupo do dalai lama confunde o bem e o mal, divulga rumores", disse um porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores chinês, Ma Zhaoxu, que acrescentou que não faria mais comentários sobre "as mentiras do dalai lama".

Na Índia, o dalai lama acusou hoje a China de ter matado "centenas de milhares de tibetanos" na região, e disse que a situação no Tibete ainda é "um inferno".

Os grupos tibetanos no exílio lembram hoje o levante fracassado de 10 de março de 1959 contra a ocupação das tropas chinesas comunistas, que tinham chegado à região em 1950.

O protesto de então, que terminou com a fuga do dalai lama através dos montes Himalaia até seu atual exílio em Dharamsala (Índia), é lembrado todos os anos com tentativas de manifestações na região, que no ano passado foram de grande violência, com uma intervenção militar chinesa e vários mortos. EFE mz/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG