Chimpanzés fêmeas trocam sexo por comida, revela um estudo

O caminho para o coração de uma fêmea de chimpanzé passa por seu estômago, segundo os resultados de um estudo alemão divulgado nesta quarta-feira: elas ficam mais predispostas ao acoplamento se lhes for oferecido alimento em troca, principalmente carne.

AFP |

Depois de observar durante cerca de dois anos um grupo de chimpanzés no parque nacional de Tai na Costa do Marfim, os autores do estudo, testemunhas de 262 "casamentos" neste período, chegaram à conclusão de que "as fêmeas selvagens copulam com mais frequência com machos que (...) compartilham alimentos com elas".

"Os resultados sugerem que as fêmeas selvagens de chimpanzés trocam comida por sexo, e o fazem a longo prazo", explicou Cristina Gomes, autora do estudo e pesquisadora do Instituto Max-Planck de antropologia evolutiva de Leipzig (leste).

Os cientistas haviam observado há tempos que estes primatas gregários compartilham com frequencia a comida, inclusive as fêmeas que não participaram da caça, mas não entendiam por quê o faziam.

Este novo estudo mostra que "os machos que agem dessa foram, dividindo suas presas, duplicam as possibilidades de cópula", comenta Cristina Gomes.

O outro autor do estudo, o biólogo franco-suíço Christophe Boesch, afirmou que os resultados encontrados terão "uma influência sobre nossos conhecimentos atuais das relações entre homens e mulheres".

A problemática "sexo por comida" poderia, assim, dar um salto da zoologia para a antropologia: os cientistas estabeleceram há tempos que, nas sociedades primitivas que vivem da caça e da colheita, os caçadores mais produtivos têm mais esposas e, portanto, mais filhos, mas nunca havia sido estabelecida uma relação explícita entre ambos os fatos.

ab/fjb/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG