Chilenos aprovam gestão de Bachelet e veem Piñera com expectativa

Santiago do Chile, 13 mar (EFE).- Michelle Bachelet deixou o Governo chileno com 85% de aprovação, enquanto o presidente eleito, Sebástian Piñera, assume com 71% da população acreditando numa boa gestão, segundo uma pesquisa divulgada hoje pelo jornal La Tercera.

EFE |

A aprovação a Bachelet, que deixou a Presidência nesta quinta, ficou refletida também nos 84% de popularidade apontados na última pesquisa da empresa de consultoria privada Adimark - o que representa um nível recorde histórico para um líder no Chile.

No entanto, de acordo com uma pesquisa feita pelo centro de enquetes do "La Tercera", outros 85% acham que Piñera poderá reconstruir as áreas afetadas pelo terremoto de 27 de fevereiro durante os quatro anos de seu mandato.

Além disso, dois de cada três cidadãos entrevistados, ou 66%, qualificam com notas entre 6 e 7 (no Chile, 7 é a nota máxima) a atuação de Bachelet após o sismo, que deixou até o momento 500 mortos identificados.

Por outro lado, apenas 17% deram uma nota de 4 pontos ou menos.

Mesmo assim, metade dos entrevistados estima que a ex-governante teve muita ou bastante responsabilidade na falta de comunicação entre as instituições do Estado, que resultou na ausência de um alerta de tsunami após o abalo.

Mas o tremor de 8,8 graus na escala Richter gerou um maremoto que matou outras centenas, deixou muitos desaparecidos e danos de consideração em cidades litorâneas das regiões afetadas.

Além disso, 54% dos consultados considerou "tardio" o envio de militares às zonas afetadas um dia depois da catástrofe, a fim de evitar saques e desordem nas horas posteriores ao tremor.

Além disso, quase 47% dos entrevistados acham que a reconstrução do país será a principal prioridade de Piñera, seguido por suas promessas de campanha como o combate à delinquência (15%), a pobreza (11%), a educação (9%) e o desemprego (6%).

Sobre as expectativas em torno de seu Governo, 71% consideram que será bom ou muito bom, enquanto 20% esperam desempenho regular, e apenas 6% disseram que será ruim ou muito ruim.

A pesquisa sobre a gestão de Bachelet foi feita com 608 pessoas com idades entre 18 e 70 anos, por telefone, de 8 a 10 de março, nas cidades de Santiago, Valparaíso, Viña del Mar, Talca, Chillán, Concepción e Talcahuano.

Já as perguntas sobre Piñera envolveram 585 pessoas, também entre 18 e 70 anos, de um conjunto de 92 cidades de mais de 20 mil habitantes nos dias 10 e 11.

A margem de erro de ambas as pesquisas é de 4 pontos percentuais, com 95% de confiança. EFE.

frf/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG