SANTIAGO (Reuters) - Uma mulher chilena bateu em sua filha até a morte depois que ela se recusou a fazer o dever de casa, disse a polícia nesta terça-feira. Erna Rivera, de 26 anos, admitiu ter perdido a paciência na segunda-feira após a filha de 9 anos se recusar a ler um livro que os professores haviam pedido como uma tarefa de férias. Ela chutou e bateu na filha em sua casa em Santiago, afirmou a polícia.

A menina morreu pouco depois -- na véspera de seu aniversário de 10 anos. Rivera foi acusada de assassinato.

'Ela admite ter batido na garota, ter chutado, socado e a ter jogado contra os móveis da casa', disse Maurício Lara, da divisão de homicídios da polícia.

'A menina teve traumatismo, quis vomitar e desmaiou. A própria mãe levou a filha a um centro médico próximo, e ali a menina sofreu uma parada cardiorrespiratória. Tentaram ressuscitá-la, mas ela morreu.'

Rivera foi acusada de violência familiar por seu parceiro no ano passado, disse Lara.

(Reportagem de Monica Vargas)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.