Chile pode ter deixado de avisar 512 pessoas infectadas com HIV

SANTIAGO (Reuters) - O sistema público de saúde do Chile pode não ter avisado a pelo menos 512 pessoas de que elas estão infectadas com o HIV, vírus causador da Aids, disse o ministro da Saúde chileno, Alvaro Erazo, na quinta-feira. Diante da Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados, Erazo disse que os números do sistema público de saúde não confirmam se cerca de 244 pessoas infectadas com o vírus foram ou não notificadas, apesar dos esforços na direção contrária.

Reuters |

Os números também não demonstram os esforços feitos para informar outras 268 pessoas, de acordo com um documento do ministério, divulgado no discurso de Erazo ao Congresso.

"Com as informações atuais, não é possível ter certeza de que as pessoas identificadas nos... grupos foram informadas, pois não há registro disso", afirmou.

A ministra da Saúde anterior renunciou e foi substituída por Erazo depois que um hospital no norte do país não avisou dezenas de pacientes que eles estavam infectados com o HIV.

Antes de renunciar, no mês passado, Maria Soledad Barria demitiu o chefe de medicina, a enfermeira supervisora e o chefe do banco de sangue do hospital de Iquique, em meio a uma investigação de possível negligência.

Erazo disse aos parlamentares na quinta-feira que o governo vai tomar medidas imediatas para alterar os procedimentos e o protocolo do sistema público de saúde.

O governo de coalizão da presidente do Chile, Michelle Bachelet, tem enfrentado protestos e escândalos nos últimos meses, o que ajuda seus rivais de direita na corrida presidencial que é considerada a mais disputada desde a volta de democracia ao país, há duas décadas.

Bachelet, que é médica e ex-ministra da Saúde, é especialista em Aids.

(Por Pav Jordan)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG