Chile ordena retirada após vulcão expelir lava

Por Anontio de la Jara SANTIAGO (Reuters) - O vulcão chileno Llaima, um dos mais ativos da América do Sul, está soltando lava no sul do Chile, afirmou na terça-feira o governo daquele país antes de ordenar a retirada de moradores da área.

Reuters |

A manobra foi adotada apenas dois meses depois da espetacular erupção do vulcão Chaitén, mais ao sul.

O Llaima, de pico nevado e localizado perto da pitoresca região dos lagos do Chile, entrou em erupção violentamente no Ano Novo, obrigando a retirada temporária de alguns turistas e moradores do Parque Nacional Conguillio, nas cercanias. Em fevereiro, o vulcão soltou lava e cinzas.

Na terça-feira, o governo decretou uma zona de exclusão de 15 quilômetros de raio ao redor do vulcão, que fica naquele parque nacional, e mandou que 30 pessoas saíssem da área próxima do Llaima (que possui 3.125 metros de altura e fica a 700 quilômetros da capital chilena, Santiago).

'O vulcão entrou em atividade novamente e há lava dirigindo-se para o rio Calbuco', disse Juan Cayupi, um vulcanólogo do Escritório Nacional de Emergência, ligado ao governo chileno.

'A lava escorreu para uma distância de 800 metros a 1 quilômetro da cratera.'

O Chile possui uma cadeia formada por cerca de 2.000 vulcões e que é a segunda maior do mundo, depois da cadeia da Indonésia. Entre 50 e 60 deles já teriam entrado em erupção, ao passo que um total de 500 são considerados potencialmente ativos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG