Milhares de funcionários públicos chilenos paralisaram suas atividades nesta terça-feira, dando início a uma greve de 48 horas, em demanda de um reajuste salarial de 14,5%.

A greve foi convocada pela Associação Nacional de Empregados Fiscais (ANEF), com o apoio da CUT, que calculou a adesão ao movimento em 90%, com mais de 400.000 trabalhadores mobilizados.

Ficaram fechados colégios e centros de saúde públicos, assim como diversas repartições do Estado: alfândega, registro civil, serviço de impostos e alguns coletores de lixo.

pa/pz/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.