Chile exuma corpo de Allende para esclarecer causa da morte

Investigação quer determinar se ele cometeu suicídio, como afirma versão mais aceita, ou foi executado em golpe de Pinochet

AFP |

AFP
O ex-presidente do Chile Salvador Allende, em foto de 1970
O corpo do ex-presidente chileno Salvador Allende foi exumado nesta segunda-feira para esclarecer se ele cometeu suicídio, como afirma a versão mais aceita, ou foi executado no golpe de Estado que instaurou a ditadura de Augusto Pinochet, em 1973.

A diligência, ordenada pelo juiz Mario Carroza, ocorreu no mausoléu da família Allende no Cemitério Geral de Santiago como parte de uma investigação aberta em fevereiro, quando, depois de quase 38 anos, buscou-se esclarecer as causas da morte do ex-presidente socialista em meio ao bombardeio ao palácio presidencial de La Moneda, em 11 de setembro de 1973.

Depois da exumação, o corpo será submetido a perícias prévias antes de ser levado para o Serviço Médico Legal de Santiago, onde será analisado por legistas chilenos e estrangeiros.

A versão mais aceita até hoje, sustentada por depoimentos de testemunhas e uma necropsia feita pelas forças golpistas, é que Allende cometeu suicídio em um dos salões do La Monada, com um fuzil que recebeu de presente do líder cubano Fidel Castro.

Mas as dúvidas retornaram em 2008, quando foi um divulgado um relatório forense com base na primeira necropsia, que determinou que o corpo tinha dois impactos de bala diferentes, em lesões que não poderiam ser atribuídas ao suicídio. A ditadura de Pinochet, que prosseguiu até 1990, deixou um balanço de mais de 3 mil vítimas.

    Leia tudo sobre: chilesalvador allendeaugusto pinochet

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG