Santiago do Chile, 14 set (EFE) - O Governo chileno manifestou hoje sua esperança em que a reunião de emergência que os presidentes da União de Nações Sul-americanas (Unasul) realizarão amanhã em Santiago permita à Bolívia encontrar a concórdia.

"Esperamos que seja uma reunião muito construtiva e que possa ajudar a Bolívia a encontrar a concórdia e a estabilidade democrática", disse aos jornalistas o ministro da Presidência, José Antonio Viera-Gallo.

O porta-voz do Governo, Francisco Vidal, demonstrou a esperança em que a reunião emita "uma declaração que seja uma base para o Governo boliviano e seu povo, para que as partes possam chegar a um acordo, que não se perca uma só vida mais e o país continue no caminho democrático".

A reunião, que será realizada nesta segunda-feira no Palácio da Moeda, foi convocada pela presidente chilena, Michelle Bachelet, para analisar o tenso cenário político existente na Bolívia, onde o Governo do presidente Evo Morales enfrenta governadores regionais opositores de várias regiões que buscam mais autonomia.

A crise política originou nas últimas duas semanas confrontos que deixaram 30 mortos na região de Pando (norte), segundo os últimos dados fornecidos pelo Governo de Evo Morales.

Viera-Gallo assegurou ainda que "a grande maioria" dos presidentes do bloco sul-americano confirmou a participação na cúpula.

Até agora confirmaram a presença nove chefes de Estado, entre eles o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de um total de doze países que integram a Unasul, sendo as exceções Peru, Guiana e Suriname. EFE ns/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.