Santiago do Chile, 18 jul (EFE).- A subsecretária de Saúde do Chile, Jeanette Vega, assegurou hoje que o vírus da gripe suína, que já matou 40 pessoas e deixou quase 11 mil doentes no país, entrou em uma curva de descenso.

"Nossos dados seguem sendo bastante bons ao serem comparados com todos os números internacionais", explicou Vega em declarações a uma rádio local.

"Estamos saindo da primeira onda invernal e estamos com uma clara diminuição de casos na região metropolitana (Santiago) e na zona sul", afirmou a subscretária.

Segundo ela, na zona norte o vírus está "em um período de estagnação", mas esperam que nas próximas semanas o número de casos comece a cair.

Ao comparar a situação com outros países, Vega disse que no Chile, há 10.926 casos e 40 mortos, o que representa uma taxa de 0,4% de mortalidade, enquanto os Estados Unidos têm 40 mil ocorrências e 263 mortes, média de 0,7%.

A subsecretária disse que no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a taxa de mortalidade média é de 0,5%, ou seja, que o Chile segue "tendo uma taxa mais baixa, praticamente, que todos os países".

Jeanette Vega advertiu também que já se sabe que não haverá uma vacina disponível contra a gripe para o hemisfério norte na próxima temporada de outono-inverno e indicou que o vírus se expandiu no mundo a uma velocidade duas vezes maior que em outras pandemias. EFE ns/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.