Chile confirma dois casos da gripe H1N1; país tem sete suspeitos

SANTIAGO (Reuters) - O Chile confirmou no domingo dois casos da gripe A H1N1 em cidadãs chilenas que chegaram ao país no sábado vindas da República Dominicana, tornando-se a 12a nação da América Latina a registrar casos da nova cepa da gripe. Na manhã de domingo, o ministro da Saúde do Chile, Alvaro Erazo, confirmou o primeiro caso em uma mulher de 32 anos. À tarde, informou que outra mulher de 25 anos, que chegou ao país no mesmo voo da Copa Airlines, que fez uma escala no Panamá, também estava infectada.

Reuters |

A lista pode aumentar caso se confirmem outros sete casos suspeitos e em fase de estudo.

Erazo disse que as mulheres infectadas com o vírus permanecem hospitalizadas em Santiago recebendo tratamento antiviral.

"Trata-se de um grupo de turistas chilenos que viajaram para Punta Cana e (...) nestas circunstâncias se produziu o contágio, e agora a recomendação é que aquelas pessoas que chegam de Punta Cana, que fizeram esta viagem pela Copa, entrem em contato com as autoridades sanitárias", disse o ministro Erazo a jornalistas.

O ministro detalhou que as mulheres infectadas, cujas identidades se mantiveram reservadas, viajaram no voo 437 da Copa Airlines que desembarcou em Santiago na madrugada de sábado.

Erazo afirmou que as autoridades esperam poder entrar em contato nas próximas horas com todos que viajaram neste voo, que transportava 110 pessoas, entre a tripulação e os passageiros, para seu "isolamento voluntário" e para que "façam um monitoramento diário da saúde".

Contudo, o ministro disse que a tripulação da Copa Airlines voltou para a América Central, situação que foi alertada às autoridades do Panamá.

(Reportagem de Antonio de la Jara)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG