Chile comemora revogação da suspensão a Cuba na OEA

Santiago do Chile, 3 jun (EFE).- O Governo do Chile comemorou hoje que os chanceleres da América tenham chegado a um consenso para revogar a resolução de 1962 que suspendeu Cuba do Sistema Interamericano.

EFE |

"É um momento verdadeiramente histórico para a Organização dos Estados Americanos (OEA)", enfatizou o ministro das Relações Exteriores chileno, Mariano Fernández, em entrevista telefônica à imprensa chilena.

Fernández participa da Assembleia Geral da OEA que acontece desde ontem em San Pedro Sula, em Honduras, onde hoje foi aprovada por unanimidade a revogação da suspensão de Cuba da entidade, após 47 anos.

"Como é sabido, o Chile não aprovou a sanção em 1962 e, nesse sentido, nosso país celebra seriamente a suspensão da mesma", ressaltou.

O chefe da diplomacia chilena relatou que, no lugar, há um ambiente de "muita alegria e muita satisfação".

Acrescentou que os ministros presentes na sessão de hoje discursaram para celebrar o fato de que, desta maneira, "a família interamericana deixa de ter esta mancha no sapato que era a situação cubana frente à OEA".

Fernández também aproveitou para destacar o trabalho do secretário-geral da OEA, o chileno José Miguel Insulza, que trabalhou "muito forte em reuniões formais e informais, com o objetivo de levar os países ao consenso". EFE mc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG