Washington, 30 ago (EFE).- O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Dick Cheney criticou hoje a suposta politização da investigação sobre os interrogatórios da CIA (agência de inteligência americana), e sugeriu que a Administração Obama aprenda com as políticas do Governo anterior.

Cheney criticou a política de segurança do presidente Barack Obama em várias ocasiões, mas esta é a primeira vez que ataca a decisão do Departamento de Justiça de abrir uma investigação preliminar sobre cerca de dez casos de abusos contra os detidos durante o Governo Bush.

Em entrevista exclusiva à emissora "Fox", realizada na casa que tem em Jackson Hole, Wyoming, e parte da qual foi antecipada em seu site, Cheney considerou que as políticas de Obama revertem as conquistas de seu antecessor, George W. Bush, para proteger o país de mais ataques terroristas.

"Tivemos um histórico de oito anos de defender à nação contra mais ataques de mortes em massa por parte da Al Qaeda. O que deveria fazer a Administração Obama é falar com as pessoas envolvidas nessa política e perguntar como fizeram, quais foram as chaves para manter o país seguro durante esse período", afirmou.

Em vez disso, os funcionários do Governo "estão ameaçando tirar a licença de advogados que nos forneceram as opiniões legais (sobre os interrogatórios) e, contrariando o que disse originalmente o presidente, estão ameaçando investigar" os agentes da CIA que fizeram os interrogatórios, criticou.

Para Cheney, a investigação ordenada pelo Departamento de Justiça é uma decisão "terrível" que minará a segurança nacional e a moral dos agentes da Agência.

Sem papas na língua, o ex-vice-presidente qualificou a investigação como um "ato político degradante".

A longo prazo, "causará um grande dano a nossa capacidade de ter gente que assuma tarefas difíceis, tome decisões difíceis, sem ter de se preocupar com o que dirá a próxima Administração", afirmou.

Cheney acusou Obama de abrir um "precedente terrível" ao realizar uma análise "intensamente partidária e politizada da Administração anterior".

"Tenho sérias dúvidas sobre suas políticas... especialmente sérias dúvidas sobre até que ponto entende e está preparado para fazer o que é necessário para defender a nação", ressaltou Cheney.

EFE mp/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.