Washington, 15 out (EFE) - O vice-presidente dos Estados Unidos, Dick Cheney, superou sem complicações um procedimento médico conhecido como cardioversão, ao qual foi submetido hoje depois de ter apresentado, na quarta-feira, uma arritmia cardíaca. Segundo um comunicado de sua porta-voz, Megan Mitchell, o vice-presidente já está em casa e retomou sua vida normal. Cheney, de 67 anos, se sentiu mal esta manhã, cancelou a agenda para o dia e passou por uma revisão profunda no hospital da Universidade George Washington, na capital americana, onde foi submetido a um procedimento que, através de um choque elétrico, devolve ao coração seu ritmo normal. O vice-presidente tem um longo histórico de problemas cardíacos desde que tinha pouco mais de 30 anos e já experimentou episódios como o de hoje em outras ocasiões. Os médicos descobriram que Cheney apresentava uma fibrilação auricular, que é um ritmo cardíaco anormal que ocorre nas câmaras superiores do coração ou aurículas. O presidente americano, George W. Bush, expressou hoje confiança em que Cheney se recuperará rapidamente e desejou o melhor ao vice.

A última vez que Cheney teve um episódio deste tipo foi em novembro de 2007. Na época, os médicos, que descobriram sua fibrilação auricular enquanto o tratavam de um forte catarro, fizeram uma cardioversão, que também transcorreu sem complicações.

Os médicos afirmaram que a fibrilação auricular é uma situação que habitualmente se repete nos doentes cardíacos e que, em si mesma, não é fatal.

No entanto, se não for tratada, pode causar problemas mais sérios, como um ataque cerebral.

Os médicos do hospital George Washington insistiram, no entanto, em que esta situação "não é, em si só, um motivo de grande preocupação", porque, segundo eles, "é muito tratável". EFE mla/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.