Chegam a 56 os mortos em atentados a bomba na Índia

Nova Délhi, 30 out (EFE).- Chegou a 56 o número de feridos em uma série de 12 explosões a áreas comerciais e prédios governamentais no estado de Assam, no noroeste da Índia, deixando ainda 247 pessoas feridas.

EFE |

Ao todo, nove bombas explodiram em Guwahati, principal cidade de Assam, matando 31 e ferindo 147, enquanto outras três foram detonadas em outras cidades do estado, quase simultaneamente, às 11h30 locais (4h de Brasília).

Quatro bombas explodiram perto do Parlamento de Assam, outra em frente a um escritório da Administração regional e duas em mercados de Guwahati.

Outras 14 pessoas morreram em Kokrajhar e 11 em Barpeta, segundo autoridades citadas pela agência "Ians".

Segundo investigações preliminares, as bombas foram postas em bicicletas.

Uma fonte da Polícia de Kokrajhar disse à Agência Efe que a área da explosão estava movimentada, pois muitas pessoas faziam compras devido a um festival religioso que será celebrado na próxima semana.

A "NDTV" forneceu imagens de corpos mutilados e incinerados entre veículos incendiados nas proximidades de um edifício oficial de Guwahati, onde bombeiros ainda tentavam conter as chamas.

"Alguns dos corpos estão incinerados de tal forma que é impossível sua identificação", declarou à "Ians" o subinspetor geral da Polícia de Assam, G.P.Singh.

O ministro da Saúde,Himanta Biswa Sarma, acusou o grupo separatista Frente Unida para a libertação de Assam (Ulfa), que negou a autoria do massacre, em e-mail enviado à imprensa indiana.

O inspetor geral de Polícia, Khagen Sharma indicou, por sua vez, à agência "PTI" que o grupo terrorista Jihad Islâmica poderia estar por trás dos atentados, com base nas ações desta frente em Bangladesh, país vizinho ao noroeste indiano. EFE ss-amp/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG