Chega ao fim a coalizão pró-ocidental que governa a Ucrânia

A coalizão pró-ocidental que governa a Ucrânia foi dissolvida, agravando a crise política da antiga república soviética, anunciou o presidente do Parlamento, Arseni Iatseniuk.

AFP |

"Declaro oficialmente o fim da coalizão das forças democráticas", declarou Iatseniuk aos deputados.

O anúncio sela o fim da aliança entre o partido do presidente Viktor Yushchenko e o bloco da primeira-ministra Yulia Timoshenko.

Timoshenko deve renunciar ao cargo agora e permanecer no posto de modo interino, até a formação de um novo gabinete.

Os conflitos entre o chefe de Estado e a chefe de Governo - prováveis adversários na eleição presidencial do fim de 2009 ou início de 2010 - aumentaram desde a guerra entre Rússia e Geórgia em agosto.

Yushchenko apoiou a Geórgia (outra ex-república soviética), enquanto Timoshenko evitou criticar publicamente a Rússia, o que foi considerado pela presidência uma "alta traição".

No início de setembro, o bloco de Timoshenko conseguiu a aprovação no Parlamento, com o apoio da oposição pró-russa, de uma série de leis que reduzem os poderes do presidente. O partido de Yushchenko anunciou de imediato a intenção de deixar a aliança com a formação da premier.

Atualmente existem dois cenários possíveis: uma aliança entre Timoshenko e os pró-russos (Partido das Regiões) ou a convocação de novas eleições legislativas, depois do pleito de setembro de 2007, que também aconteceu de modo antecipado.

ant/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG