Chega a Gaza missão da ONU que investigará violações aos direitos humanos

Gaza, 1 jun (EFE).- A comissão da ONU criada para investigar as violações aos direitos humanos durante a mais recente ofensiva israelense na Faixa de Gaza, que deixou cerca de 1,4 mil palestinos mortos, na maioria civis, entrou hoje no território a partir do Egito.

EFE |

A missão permanecerá em Gaza por cerca de uma semana e se reunirá "com todas as partes envolvidas, incluindo ONGs, agências das Nações Unidas, vítimas e testemunhas de violações denunciadas, assim como com outras pessoas que possam oferecer informação relacionada aos fatos investigados", precisou a ONU.

O porta-voz palestino dos postos fronteiriços, Adel Zurob, deu as boas-vindas à delegação no cruzamento de Rafah e pediu que trabalhe "extensamente para revelar os crimes, e condenar e perseguir os criminosos de guerra israelenses".

A equipe é presidida pelo sul-africano Richard Goldstone, ex-promotor dos tribunais internacionais para a antiga Iugoslávia e Ruanda.

Também é formada por amis 14 especialistas legais, como a professora de direito internacional Christine Chinkin, a jurista Hina Jilani e o coronel reformado do Exército irlandês Desmond Travers.

O porta-voz do Hamas, Fawzi Barhum, disse que seu movimento cooperará com a comissão "e trará à tona todas as evidências e provas à disposição para permitir completar sua missão".

Pelo contrário, Israel rejeita colaborar com a equipe, porque considera "parcial" a incumbência que encomendada em abril pelo Conselho de Direitos Humanos: investigar as violações aos direitos humanos entre 27 de dezembro e 18 de janeiro, e não o lançamento prévio de foguetes pelas milícias palestinas. EFE sar-ap/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG