Washington, 10 mai (EFE).- O chefe do Comando Conjunto Central americano, general David Petraeus, afirmou hoje que a organização Al Qaeda não está mais presente no Afeganistão, mas alguns de seus grupos afins têm santuários no país.

Petraeus disse hoje, em uma entrevista à "CNN", que a rede Al Qaeda é uma organização "verdadeiramente transnacional", com capacidade de atravessar fronteiras e cometer atentados em vários países, da Índia até o Reino Unido.

Petraeus coincidiu com declarações feitas há poucos dias pelo presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, que dissera que a Al Qaeda não estava mais em seu país.

"Acho que é uma avaliação precisa e acertada. A Al Qaeda não têm mais bases no Afeganistão", disse Petraeus, mas deixou claro que "algumas de suas organizações filiadas têm enclaves e santuários em algumas partes do país".

Na entrevista, o chefe militar se mostrou satisfeito com a ofensiva do Governo do Paquistão em sua fronteira montanhosa com o Afeganistão, que permitiu que esta organização terrorista sofra "muitas baixas" nos últimos oito ou dez meses.

O Paquistão afirma que tem 175 mil soldados mobilizados nesta região, em uma tentativa de reduzir a força dos insurgentes.

O militar se referiu também ao encontro ocorrido há poucos dias, em Washington, entre Karzai, o presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, e o dos EUA, Barack Obama, e que, na opinião de Petraeus, foi uma reunião "sem precedentes".

"Nunca antes estes dois líderes tinham se reunido", disse Petraeus, garantindo que o encontro, no qual ambos se comprometeram a lutar contra o terrorismo, "foi muito positivo e produtivo." Em outra entrevista, à rede "Fox", Petraeus se referiu ao arsenal nuclear do Paquistão, e garantiu que tem confiança de que não cairá nas mãos dos talibãs.

Segundo ele, "os talibãs são uma verdadeira ameaça para a existência do Paquistão".EFE pgp/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.