Chefe militar diz que EUA seguem de perto situação no Irã

Cairo, 29 (EFE).- O chefe do Comando Conjunto Central dos Estados Unidos, general David Petraeus, disse hoje, no Cairo, que seu país acompanha de perto a situação no Irã pelos protestos iniciados após as eleições presidenciais realizadas no último dia 12.

EFE |

O general americano, que foi o comandante das tropas dos Estados Unidos (EUA) no Iraque até o ano passado, fez estas declarações em entrevista coletiva, após se reunir com o presidente egípcio, Hosni Mubarak, com quem discutiu a situação no Irã, Paquistão e Afeganistão.

"Vemos de perto como vai a situação no Irã", disse Petraeus, em resposta a uma pergunta sobre se os EUA adotarão uma nova política militar na região do Oriente Médio por causa da instabilidade na República Islâmica.

O presidente americano, Barack Obama, e líderes de outros países tinham criticado o regime iraniano devido à repressão aos protestos iniciados depois da reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad.

Petraeus reiterou também as acusações de seu país de que o regime iraniano intervém nos assuntos internos do vizinho Iraque, através do fornecimento de armas aos grupos de insurgentes no país árabe.

Sobre isso, o general americano expressou sua esperança de que o Irã e o Iraque possam, no futuro, estabelecer relações baseadas no "respeito mútuo à soberania de cada país".

Durante sua reunião com Mubarak, Petraeus discutiu também as medidas necessárias para combater a pirataria no litoral somali e o tráfico de armas entre os grupos radicais, em referência ao movimento palestino Hamas e ao grupo opositor xiita libanês Hisbolá.

EFE nq/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG