Chefe local da Al-Qaeda no Iêmen morre em tiroteio com forças de segurança

Um chefe da facção local da Al-Qaeda, que reivindicou os atentados contra turistas espanhóis em 2007, morreu em um tiroteio entre membros da rede de Osama bin Laden e as forças de segurança no leste do Iêmen, anunciou nesta terça-feira o ministro da Defesa.

AFP |

Hamza al Qayti, um dos 23 militantes da Al-Qaeda que fugiram da prisão em fevereiro de 2006, morreu nesta segunda-feira, assim como outros quatro membros da rede durante um tiroteio com a polícia nesta cidade de Tarim, 800 km a leste de Sanaa.

Dois policiais também morreram e três ficaram feridos.

O ministério indicou que estes ativistas formavam uma célula que tinha planos para realizar ataques terroristas no Iêmen e o exterior.

A polícia encontrou com eles explosivos e documentos falsos, como passaportes árabes, dois dois quais sauditas.

Segundo a fonte, essa célula foi a responsável pelo atentado que matou oito turistas espanhóis e dois guias iemenitas em Marib, leste de Sanaa, em julho de 2007.

Este grupo também planejou um ataque que foi desbaratado contra instalações petroleira em Marib, em 2006, e foi responsável por um atentado cometido em 25 de julho passado, que matou um policial e feriu 17 pessoas na cidade de Sayun, em Hadramaut.

Três dos 23 membros da Al-Qaeda que escaparam da prisão continuam foragidos enquanto cinco morreram em confrontos com a polícia e 15 foram recapturados.

mou/ak/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG