Chefe do Pentágono diz que Irã enfrentará sanções mais severas

Washington, 27 set (EFE).- O secretário da Defesa americano, Robert Gates, disse hoje que a opção militar não é a mais eficaz para lidar com o programa nuclear do Irã, e advertiu que o Governo de Teerã enfrentará sanções internacionais mais severas se continuar sua política atual.

EFE |

Estados Unidos, França e Reino Unido denunciaram na semana passada a construção, em sigilo, de uma usina nuclear no Irã. Na próxima quinta-feira, começará em Genebra uma rodada de discussões, com a participação também de Irã, Rússia, Alemanha e China.

"Os iranianos estão, neste momento, em uma posição muito ruim, diantes de todas as grandes potências, devido a seu engano", disse Gates à rede "CNN" de televisão.

"Há, obviamente, a oportunidade de sanções graves adicionais", acrescentou.

Gates disse que a situação política no Irã é de uma turbulência latente, depois dos protestos meses atrás contra o resultado das eleições presidenciais, e quando aproximadamente 40% dos jovens iranianos estão desempregados.

"É claro que, depois das eleições, há fissuras bastante profundas na sociedade e na política iranianas, e provavelmente entre os governantes", acrescentou.

"Essa é uma das razões pelas quais acho que as sanções econômicas adicionais, e especialmente severas, poderiam ter um impacto", disse.

Por outro lado, o secretário disse que "não há uma opção militar que alcance outra coisa que ganhar um pouco de tempo". EFE jab/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG