Chefe do Parlamento de Taiwan pede retirada de mísseis a negociador chinês

Taipé, 5 nov (EFE).- O presidente do Parlamento taiuanês, Wang Jin-pyng, pediu hoje maior espaço internacional para Taiwan e a retirada dos mísseis do gigante asiático apontados para a ilha durante uma reunião com o negociador chinês Chen Yunlin.

EFE |

Chen, o funcionário chinês de maior categoria que visitou a ilha, afirmou que as duas partes devem se concentrar agora em questões econômicas e comerciais.

"Devemos concluir o trabalho em assuntos econômicos e comerciais o mais rápido possível e avançar passo a passo", disse o negociador chinês, presidente da Associação de Relações através do Estreito de Taiwan (Arats).

A retirada dos mísseis está vinculada à confiança militar mútua, acrescentou Chen, que deixou claro que Pequim não negociará questões militares ou políticas antes de concluir as negociações econômicas.

Wang disse ao negociador chinês que Pequim deveria mostrar maior boa vontade para responder ao desejo taiuanês de ser representado na comunidade internacional e de não haver mísseis apontando para a ilha.

"Assim que mostrarmos boa vontade mútua, o futuro das relações entre as duas partes do Estreito de Formosa será brilhante", declarou Wang.

Chen Yunlin iniciou na última segunda uma visita de cinco dias a Taiwan para continuar as negociações iniciadas em Pequim em junho após a chegada ao poder do presidente taiuanês, Ma Ying-jeou, que procura intensificar os laços civis e econômicos com a China e assinar um acordo de paz.

Taiwan e China são governados separadamente desde o fim de um conflito civil em 1949.

Pequim considera Taiwan parte de seu território e a ilha se considera um Estado soberano herdeiro da República da China, fundada no continente em 1911. EFE flp/ev/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG