PARIS (Reuters) - O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, é o favorito para liderar a candidatura do Partido Socialista na eleição presidencial francesa de 2012, de acordo com uma pesquisa de opinião divulgada nesta quarta-feira.

A sondagem deve se somar à crescente especulação sobre o futuro do ex-ministro das Finanças da França, cujo status cresceu devido a seu papel central na condução da crise financeira e do desastre da dívida grega.

" /

PARIS (Reuters) - O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, é o favorito para liderar a candidatura do Partido Socialista na eleição presidencial francesa de 2012, de acordo com uma pesquisa de opinião divulgada nesta quarta-feira.

A sondagem deve se somar à crescente especulação sobre o futuro do ex-ministro das Finanças da França, cujo status cresceu devido a seu papel central na condução da crise financeira e do desastre da dívida grega.

" /

Chefe do FMI é favorito para ser candidato socialista na França

PARIS (Reuters) - O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, é o favorito para liderar a candidatura do Partido Socialista na eleição presidencial francesa de 2012, de acordo com uma pesquisa de opinião divulgada nesta quarta-feira.

A sondagem deve se somar à crescente especulação sobre o futuro do ex-ministro das Finanças da França, cujo status cresceu devido a seu papel central na condução da crise financeira e do desastre da dívida grega.

Reuters |

PARIS (Reuters) - O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, é o favorito para liderar a candidatura do Partido Socialista na eleição presidencial francesa de 2012, de acordo com uma pesquisa de opinião divulgada nesta quarta-feira.

A sondagem deve se somar à crescente especulação sobre o futuro do ex-ministro das Finanças da França, cujo status cresceu devido a seu papel central na condução da crise financeira e do desastre da dívida grega.

A pesquisa BVA, que deve ser publicada na revista Nouvel Observateur na quinta-feira, verificou que 49 por cento da população francesa e 56 por cento dos chamados "formadores de opinião" preferem que Strauss-Kahn lidere o Partido Socialista na corrida presidencial de 2012.

Os resultados mostram o diretor-gerente do FMI com uma confortável vantagem à frente da líder do partido, Martine Aubry, que obteve 16 e 13 por cento respectivamente. O ex-líder do partido, François Hollande, ficou em terceiro, obtendo o apoio de apenas 9 por cento e 8 por cento.

Os formadores de opinião foram 399 personalidades de liderança selecionadas do mundo político, econômico e da mídia, informou a BVA.

"Dominique Strauss-Kahn não precisa esconder sua alegria com isso", disse Bruno Fuchs, diretor da consultoria francesa Image et Strategie, que encomendou a pesquisa da BVA.

"Olhando adiante para 2012, a questão agora é como ele pode manter essa liderança até as primárias", afirmou ele.

Os socialistas devem organizar uma eleição primária no ano que vem para decidir quem deve ser seu candidato presidencial. Nenhum peso pesado do partido declarou até agora se vai concorrer, embora a maioria dos analistas espere que Aubry e Hollande se apresentem.

A situação é mais complicada para Strauss-Kahn, cujo mandato no FMI não termina até outubro de 2012, seis meses depois da eleição presidencial francesa.

Ele não tem autorização para se envolver na política nacional enquanto estiver no FMI e teria de renunciar para concorrer nas primárias.

(Reportagem de Vicky Buffery)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG