Chefe do exército iraniano ameaça fechar Estreito de Ormuz

O chefe do Estado-maior do exército iraniano, o general Hassan Firouzabadi, advertiu neste sábado que seu país fechará o Estreito de Ormuz, por onde escorre 40% do petróleo mundial, se os interesses do país forem ignorados, informou a agência Fars.

AFP |

"Todos os países devem saber que, se os interesses do Irã na região forem ignorados, será natural não permitirmos aos outros utilizar a via marítima", indicou o chefe do Estado-maior do exército, citado pela agência.

Ele destacou, no entanto, que a prioridade da República Islâmica é manter o Estreito de Ormuz aberto.

Os Estados Unidos, assim como Israel, não excluíram recentemente a possibilidade de utilizar a força contra o Irã em resposta a seu programa nuclear, que segundo os ocidentais representa uma ameaça militar sob pretexto de um programa civil.

Além disso, o chefe dos Guardiões da Revolução, o exército ideológico do regime, o general Mohammad Ali Jaafari, ameaçou ainda neste sábado o inimigo de "golpes fatais" no Golfo.

"Os guardiões estão equipados de mísseis os mais sofisticados que podem destruir o equipamento naval dos inimigos", disse, citado pela Fars.

Ele acrescentou que, em caso de ataque contra o Irã, "as táticas de guerra dos guardiões não deixarão nenhum inimigo fugir".

O general Jaafari já havia dado a entender recentemente que a República Islâmica poderia fechar o estreito de Ormuz em represália a um ataque contra suas instalações nucleares.

"Quando um país é atacado, é natural que ele use de todas as suas capacidades contra o inimigo, e nosso controle do Golfo Pérsico e do Estreito de Ormuz faz claramente parte disso", declarou então o general Jaafari, citado no fim de junho pelo jornal conservador Jam-e Jam.

Pouco depois, os Estados Unidos indicaram que não permitiriam ao Irã fechar o Estreito de Ormuz.

"Eles (os iranianos) não vão fechar o Estreito de Ormuz. Eles não serão autorizados a fechá-lo", afirmou o comandante da V frota americana, o vice-almirante Kevin Cosgriff, em entrevista à imprensa em Manama, a capital do Reino Unido do Bahrein, sede da V frota.

O Estreito de Ormuz é um canal estratégico que separa o Irã ao norte do sultanato de Omã ao sul.

aet/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG