Chefe do Estado-Maior dos EUA pede calma nas relações com Paquistão

O chefe do Estado-Maior conjunto americano, Michael Mullen, pediu nesta sexta-feira calma nas relações com o Paquistão, após um incidente armado entre militares americanos e paquistaneses na fronteira afegã.

AFP |

"Hoje mais do que nunca é hora de trabalhar em equipe, com calma, na luta contra a milícia talibã e a Al-Qaeda, nas zonas tribais paquistanesas fronteiriças com o Afeganistão", disse Mullen em entrevista à imprensa.

"Continuo confiando em que os chefes militares paquistaneses compreendem a natureza do problema e trabalham duro para eliminá-lo", destacou, cumprimentando os recentes esforços do Exército paquistanês para resolver o problema dos refugiados rebeldes de seu lado da fronteira.

Militares paquistaneses e americanos trocaram tiros, nesta quinta-feira, ao longo da fronteira entre Paquistão e Afeganistão, após disparos paquistaneses contra dois helicópteros dos Estados Unidos.

O porta-voz do Comando americano para o Oriente Médio e a Ásia Central, Gregory Smith, informou que soldados paquistaneses de um posto de controle da fronteira foram vistos atirando em dois helicópteros americanos OH-58 Kiowa que acompanhavam uma patrulha de soldados afegãos e americanos a mais de 2 km da fronteira com o Paquistão.

Hoje, o presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, declarou, na Assembléia-Geral das Nações Unidas, que o Paquistão não permitirá que sua soberania seja violada.

dab/lm/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG