Chefe de diplomacia polonesa deseja retomar negociação de escudo antimísseis

Varsóvia, 4 jul (EFE).- O chefe da diplomacia polonesa, Radoslaw Sikorski, disse hoje que a falta de acordo com Washington sobre o escudo antimísseis não é definitiva, e expressou seu desejo de que as negociações continuem e tenham sucesso, apesar de horas antes o primeiro-ministro da Polônia, Donald Tusk, ter rejeitado a oferta dos Estados Unidos.

EFE |

Sikorski explicou que "o êxito das conversas com os Estados Unidos sobre o escudo antimísseis depende do aumento do potencial militar da Polônia".

"A oferta americana é insuficiente", disse horas antes o primeiro-ministro, já que não satisfaz as exigências polonesas em troca de sua aceitação, dentre as quais destaca a instalação de mísseis tipo Patriot de maneira estável, e não de forma temporária, como oferece Washington.

Os Patriot, mísseis terra-ar de longo alcance, foram uma das principais exigências polonesas ao longo de toda a negociação, pois são considerados imprescindíveis para repelir eventuais agressões de territórios vizinhos e conseguir a ansiada segurança da Polônia, um país cuja história é marcada por invasões.

O titular de Exteriores ressaltou que o presidente do país, o conservador Lech Kaczynski, é favorável à decisão adotada pelo Executivo liberal, apesar de ter criticado em diversas ocasiões a lentidão das negociações. EFE nt/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG