Afonso Cano, chefe das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), planejava se encontrar com representantes do governo colombiano alguns dias antes do resgate, no dia 2 de julho, de 15 reféns da guerrilha, entre eles Ingrid Betancourt, segundo um documento divulgado nesta terça-feira pela televisão colombiana.

"Nossa proposta de marcar um encontro com representantes do governo para definir os termos de um acordo continua válida, assim como a decisão de manter um contato", disse Canno em um texto redigido em junho e dirigido aos combatentes do grupo rebelde.

"Persistiremos em nossos esforços para alcançar a paz democrática pela via civilizada do diálogo, como sempre fizemos nos 44 últimos anos", acrescentou o líder das Farc em seu comunicado.

Esta é a primeira declaração publicada de Afonso Cano desde que ele assumiu o comando das Farc, depois da morte do líder histórico do movimento, Manuel Marulanda, em 26 de março, destacou o canal RCN.

A existência do documento foi mencionada segunda-feira pelo alto comissário colombiano para a paz, Luis Carlos Restrepo, que anunciou que o governo buscará um "contato direto" com Cano para negociar uma troca de reféns por guerrilheiros presos e iniciar um processo de reconciliação.

No dia 2 de julho, o Exército colombiano resgatou a franco-colombiana Ingrid Betancourt, três americanos e 11 reféns colombianos após uma bem-sucedida operação de infiltração das Farc. O movimento guerrilheiro ainda não reagiu à operação.

axm/yw/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.