Chefe da missão da OEA diz que Lugo venceu sem interferência estrangeira

Bogotá, 21 abr (EFE).- A chefe da missão de observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA), María Emma Mejía, disse hoje que o ex-bispo paraguaio Fernando Lugo, da Aliança Patriótica para a Mudança (APC), obteve a Presidência de seu país nas eleições de domingo sem nenhuma interferência estrangeira.

EFE |

"Na realidade, isso não houve (a ingerência), e ele (Lugo) foi muito claro em desqualificar isso", afirmou Mejía, ex-chanceler colombiana.

Nessas eleições, o Partido Colorado perdeu uma hegemonia de 60 anos.

Em entrevista por telefone à rede "Caracol", de Bogotá, que entrou em contato com Mejía em Assunção, a ex-ministra colombiana disse que, como candidato, o ex-bispo católico foi "muito categórico" em dizer que, se obtivesse o triunfo, seu Governo não estaria "pregado a nenhuma participação internacional".

A observadora disse que, de fato, foram muitas as acusações - infundadas, segundo ela - sobre a suposta presença no Paraguai de agitadores das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), assim como de venezuelanos, equatorianos e uruguaios.

Segundo os resultados preliminares divulgados pelo Tribunal Superior de Justiça Eleitoral do Paraguai (TJSE), Lugo obteve a vitória com 40,82% dos votos, contra 30,72% de Blanca Ovelar, candidata do Partido Colorado.

A vitória de Lugo é "indiscutível", considerou a ex-chanceler colombiana, e ressaltou que os paraguaios deram "uma lição de democracia" em "um dia cívico que muda a cor política de todo o mapa latino-americano, com um Governo de centro-esquerda". EFE jgh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG