Chefe da Junta Militar mauritana anuncia candidatura à Presidência

Nuakchott, 5 fev (EFE).- O general Mohammed Ould Abdelaziz, chefe da Junta Militar que dirige a Mauritânia desde o golpe de Estado de 2008, concorrerá às eleições presidenciais do país, informaram hoje à Agência Efe fontes ligadas ao líder mauritano.

EFE |

Abdelaziz, que dirigiu o golpe que depôs o presidente Sidi Mohammed Ould Cheikh Abdallahi em agosto, anunciou que participará das eleições, previstas para 6 de junho, durante a reunião semanal do Governo.

Esta é a primeira vez em que o líder mauritano expressa claramente suas intenções desde que, há algumas semanas, começaram a circular rumores sobre sua possível candidatura.

As eleições presidenciais mauritanas vão ser boicotadas pela Frente Nacional pela Defesa da Democracia (FNDD), leal a Abdalalhi e que agrupa partidos e políticos que fazem oposição às autoridades golpistas, como o presidente do Parlamento, Messud Ould Buljeir.

Outro dos principais partidos do país, o União de Forças Democráticas (UFD) de Ahmed Ould Dadah, também pode se unir ao boicote, já que exigiu que membros do Exército e das forças de segurança sejam proibidos de se apresentar às eleições. EFE mo/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG