Chefe da inteligência alemã na corda bamba por espionar jornalista

O chefe do serviço da inteligência exterior alemã (BND), Ernst Uhrlau, teve a demissão exigida por parlamentares verdes nesta quinta-feira por ter infringido a lei para espionar uma jornalista que investigava a atuação alemã no Afeganistão.

AFP |

Citando fontes ligadas a uma comissão parlamentar encarregada de controlar os serviços secretos, o BND havia instalado inclusive um vírus espião (dispositivo que permite o acesso a usuários externos) no computador de um ministro afegão para espionar seus contatos com a jornalista alemã Susanne Koelbl.

"Este assunto deve ter conseqüências pessoais", afirmou na quarta-feira Hans Christian Strobele, representante dos Verdes nesta comissão.

O escândalo foi revelado na semana passada, quando o chefe do BND, à frente do serviço desde o final de 2005, pediu desculpas à jornalista por ter espionado seu correio eletrônico entre junho e novembro de 2006.

Segundo o jornal Berliner Zeitung, outros jornalistas alemães no Afeganistão podem ter sido espionados.

Recentemente, o BND reconheceu que tinha conhecimento do treinamento de forças de segurança líbias por parte de policiais alemães de férias ou aposentados, sem ter advertido o governo alemão.

fc-ab/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG