Chefe da FIA convoca reunião para discutir escândalo sexual

O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Max Mosley, convocou uma reunião extraordinária para discutir o escândalo provocado por uma reportagem sobre sua vida pessoal publicada em um tablóide britânico. No começo da semana, o jornal News of the World publicou detalhes do que afirmou ser uma orgia ao estilo nazista envolvendo Mosley e cinco prostitutas.

BBC Brasil |

Mosley, filho de um líder fascista britânico da década de 30, Oswald Mosley, negou qualquer conotação nazista em seu comportamento e pediu desculpas por qualquer constrangimento causado.

O diretor da FIA enviou uma carta aos integrantes da federação na terça-feira e afirmou que vai entrar com um processo contra o tablóide News of the World.

Mosley diz que foi vítima de uma "investigação secreta" de sua "vida privada" e de suas "origens", descreveu suas "atividades privadas e altamente pessoais" como "constrangedoras", mas acrescentou que qualquer conotação nazista é "totalmente falsa". E afirmou que pretende permanecer no cargo.

Dano à imagem
Quatro equipes de Fórmula 1 - BMW, Mercedes, Toyota e Honda - já deram declarações em que afirmam temer o dano que o escândalo pode causar à reputação do esporte.

"O conteúdo da publicação é vergonhoso. Como uma empresa, nos distanciamos disso. Este incidente afeta Max Mosley pessoalmente e como presidente da FIA", afirmaram a BMW e a Mercedes em um comunicado.

"Portanto, suas conseqüências vão além da indústria automobilística", acrescenta o texto. "Esperamos uma resposta dos órgãos relevantes da FIA."
"A Toyota Motorsport não aprova qualquer comportamento que possa ser visto como danoso à imagem da Fórmula 1, em particular, qualquer comportamento que possa ser visto como racista ou anti-semita", diz o comunicado da Toyota.

"Quando todos os fatos forem conhecidos, cabe a FIA decidir se Mosley cumpriu as obrigações morais que devem ser cumpridas por um presidente da federação", acrescenta o documento.

Resposta
Em seu comunicado, a Honda afirma que ficou "extremamente decepcionada pelos eventos recentes" e pede que a "FIA dê a esta questão uma análise cuidadosa e chegue a uma decisão imediata".

"É necessário que figuras importantes nos esportes e nos negócios mantenham os padrões mais altos de conduta para cumprir seus deveres com integridade e respeito", afirma o texto.

"Infelizmente, (as equipes) não entraram em contato comigo, antes de divulgar seus comunicados, para perguntar se o conteúdo (publicado pelo tablóide) era verdadeiro", disse Max Mosley em resposta às equipes.

"Sem dúvida, a FIA vai responder a todos eles no tempo devido, assim como estou prestes a responder ao jornal em questão", acrescentou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG