Chefe da Constituinte do Equador renuncia por discordar de Rafael Correa

O presidente da Constituinte equatoriana, Alberto Acosta, renunciou inesperadamente ao cargo por causa de atritos com o presidente Rafael Correa pela demora da redação da nova Constituição que irá a referendo.

AFP |

Acosta anunciou sua demissão faltando cinco semanas para que vença o prazo fixado para a entrega da Carta Magna promovida por Correa, com a qual busca habilitar sua reeleição imediata e reforçar o poder estatal na economia.

"Estamos confusos com esta renúncia do Alberto. Foi uma surpresa, mas ainda devo falar com ele para saber os alcances de sua renúncia", comentou Fernando Cordero, vice-presidente da Assembléia Constituinte de maioria oficialista.

Aliado do presidente equatoriano, Acosta manteve com ele nas últimas semanas discrepâncias quanto à demora da entrega do texto constitucional, que deverá ser submetido à consulta popular no final de setembro.

Correa, que antes divergiu com Acosta quanto a temas ambientais, pressionou seu bloco para que aprovasse os artigos restantes da nova Carta antes de 26 de julho, últimato com o qual o chefe da constituinte não concordou.

vel/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG