Chavistas atacam TV oposicionista na Venezuela

Por Raymond Colitt e Ana Isabel Martinez CARACAS (Reuters) - Dezenas de seguidores do presidente Hugo Chávez invadiram na segunda-feira a sede da TV oposicionista Globovisión, que está sob ameaça de ser fechada pelo governo.

Reuters |

Imagens da própria Globovisión mostraram militantes do partido esquerdista UPV dominando os seguranças e atirando bombas de gás lacrimogêneo dentro da emissora.

A Globovisión é um canal pequeno, que transmite noticiários críticos ao governo. Um ministro de Chávez condenou o ataque, embora os proprietários da emissora tenham acusado o presidente de estar por trás do incidente.

Os invasores agitavam bandeiras do UPV e usavam boinas vermelhas que identificam os chavistas. Funcionários do canal disseram ter sido ameaçados com armas de fogo, e a Globovisión disse que um policial que vigia o local foi ferido.

No mesmo dia, o governo assumiu temporariamente o controle de duas empresas de torrefação de café, as quais ameaçou nacionalizar.

"Em nome do governo bolivariano, queremos em primeiro lugar condenar esse ataque energicamente e rejeitar esse tipo de ação violenta contra a Globovisión", disse o ministro do Interior, Tareck El Aissami, pelo canal público VTV. "Não aceitamos que a violência seja o instrumento para resolver nossas diferenças."

O presidente da Globovisión, Guillermo Zuloaga, disse achar que "isso foi uma ordem (do palácio presidencial) de Miraflores".

Nas últimas semanas, o governo intensifica seus ataques para controlar a mídia privada. No fim de semana, as autoridades fecharam 34 rádios e disseram estar investigando supostas irregularidades em outras 120.

Críticos dizem que o governo está tentando silenciar a oposição e cercear a liberdade de expressão.

No mês passado, a Globovisión recebeu uma multa de 2 milhões de dólares por irregularidades fiscais, e agentes do governo invadiram duas vezes imóveis pertencentes ao presidente do canal, acusado de revender carros ilegalmente e manter animais silvestres empalhados. O governo diz estar estudando outras medidas contra a Globovisión.

Em 2007, o governo recuou-se a renovar a concessão do canal RCTV, que também fazia críticas frequentes a Chávez.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG