Chávez viaja à Rússia para comprar equipamentos militares

MOSCOU (Reuters) - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, viajará esta semana à Rússia em meio a esforços para intensificar o comércio bilateral e tentará comprar submarinos a diesel, sistemas móveis de míssil e tanques dos russos, afirmaram na segunda-feira meios de comunicação. Chávez realizou diversas viagens à Rússia, o segundo maior exportador de petróleo do mundo, e elogiou o governo russo por resistir a algumas das políticas norte-americanas.

Reuters |

O presidente da Venezuela, que usa o faturamento obtido por seu país com a venda de petróleo para, entre outras coisas, adquirir equipamentos militares dos russos e chineses, desembarcará em Moscou na terça-feira e deve reunir-se com o presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, e com o primeiro-ministro do país, Vladimir Putin.

A princípio, Chávez chegaria a Moscou na segunda-feira à noite, mas adiou seu desembarque para terça-feira de manhã, afirmou um membro dos serviços diplomáticos da Venezuela. Não houve nenhuma justificativa para a mudança de planos.

A embaixada venezuelana na capital da Rússia recusou-se a responder aos pedidos de informação sobre a visita, mas meios de comunicação russos disseram que Chávez tentaria comprar 20 sistemas de defesa antiaérea TOR-M1 e vários submarinos movidos a diesel, em negócio que totalizaria mais de 1 bilhão de dólares.

A Venezuela tenta obter financiamento junto a bancos russos, em parte para custear a aquisição de armas, ao passo que algumas das maiores empresas da Rússia -- entre as quais a Gazprom, a Lukoil, a TNK-BP e a Ferrovias Russas -- desejam intensificar as trocas comerciais com o país latino-americano, membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

Chávez disse à agência russa de notícias Itar-Tass que desejava comprar tanques russos durante sua visita: 'Esses são tanques muito modernos, muito rápidos'. O presidente venezuelano também afirmou à agência que queria discutir a criação de um fundo mútuo de investimento.

'Durante a visita do presidente venezuelano, H. Chávez, à Rússia, podem ser assinados novos contratos para a entrega de armas e equipamentos militares russos', afirmou um membro do setor de defesa da Rússia, segundo a Itar-Tass.

A estatal exportadora de armas do país, Rosoboronexport, não quis manifestar-se sobre o assunto.

(Por Guy Faulconbridge)

REUTERS FE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG