Caracas, 1º fev (EFE).- O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, sugeriu hoje que setores radicais da oposição vinculados à oligarquia estão por trás do ataque contra uma sinagoga em Caracas.

"São eles mesmos. Assim digo ao país, e faremos tudo o que estiver a nosso alcance, dentro da lei, para provar as verdadeiras causas deste fato", disse Chávez num ato em memória ao prócer Ezequiel Zamora.

Na madrugada de sábado, cerca de 15 pessoas não identificadas invadiram uma sinagoga de Caracas, destruiu objetos característicos do culto judeu e pichou palavras ofensivas a Israel.

"É preciso perguntar quem esses atos violentos beneficiam e por que acusam imediatamente o Governo", declarou o governante.

Chávez, que condenou o ataque, disse ter certeza de que o ato de vandalismo foi "fabricado" para perturbar o clima político do país às vésperas do referendo sobre uma reforma constitucional, marcado para 15 de fevereiro.

Chávez afirmou que o ataque à sinagoga "não beneficia nem o Governo, nem o povo, nem a revolução".

"Estão tentando perturbar o clima (...) e quebrar uma tendência que caminha em direção à vitória popular", disse o chefe de Estado em alusão ao referendo.

O presidente venezuelano também afirmou que seu Governo "condena a violência, venha de onde vier", e que a combaterá "venha de onde vier". EFE rr/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.