Chávez se responsabiliza por ingerência na Bolívia

Caracas, 8 mai (EFE) - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, reiterou hoje que não ficará de braços cruzados se o império e suas fichas conseguirem dividir a Bolívia e se declarou culpado antecipadamente de ingerência nos assuntos internos desse país. Eu disse aos amigos presidentes, aos mais próximos, que a Venezuela não vai ficar de braços cruzados, com tudo o que isto implica. De uma vez, me acusem de ingerência; declaro-me culpado desde já; até agora sou inocente, declarou em um ato aos ministros de Energia dos países sul-americanos.

EFE |

Embora tenha dito que as pretensões - qualificadas por ele de separatistas - não triunfariam na Bolívia, assegurou que se não for assim, "poderia começar o que 'Che' (Ernesto Guevara) alertou sobre um, dois, três Vietnã".

Nesse caso, "as regras do jogo seriam rompidas e seria necessário jogar outro jogo; tomara que não nos obriguem", acrescentou o governante, após indicar que fará frente ao assunto "custe o que custar".

Em sua opinião, o plano "do império e de suas fichas" inclui, além disso, divisões territoriais no Equador e também em seu país.

"Tem que chegar a hora de nós exigirmos respeito" perante estes planos "de ação americana", sustentou e acrescentou que alguns de seus opositores "já apresentaram plano de secessão em Zulia", estado do noroeste venezuelano.

"Eu lhes disse que a única forma de nos tirarem Zulia (...) é com uma guerra aqui. Procurem um Exército!", porque para dividir a Venezuela "terão que passar por cima de nossos cadáveres", assegurou.

No domingo passado, quando se realizava na Bolívia um referendo autônomo promovido pela região de Santa Cruz, Chávez indicou que "o plano imperialista e de seus lacaios" visaria a suscitar no próximo ano "um conflito interno de grandes proporções" na Venezuela.

Ele denunciou que, segundo informações obtidas em Washington e Miami, "os lacaios venezuelanos do império" tentarão separar os estados do oeste (Zulia, Táchira, Mérida, Barinas e Apure). EFE ar/bm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG