Chávez se recupera bem de cirurgia, diz ministra venezuelana

Titular da pasta de Cidades e Proteção Social, Isis Ochoa, disse que líder venezuelano deu instruções para gabinete ministerial

iG São Paulo |

A ministra venezuelana das Cidades e da Proteção Social, Isis Ochoa, garantiu nesta terça-feira que o presidente Hugo Chávez está "se recuperando" bem da operação de emergência à qual foi submetido, em Cuba, por conta de um abscesso pélvico.

AP
Chávez (C) aparece em foto divulgada pelo governo cubano ao lado de Fidel (E) e Raúl Castro (17/6)
Ochoa disse que o mandatário se recupera com muito ânimo e chegou até a dar instruções para o gabinete ministerial. "Devemos ter confiança de que o líder está se fortalecendo e que necessita de um tempo para se recuperar. Ele está muito bem", afirmou a ministra.

Chávez está internado desde 10 de junho em Havana, capital de Cuba, onde foi submetido à cirurgia. A falta de informações sobre seu estado de saúde gerou uma onda de especulações sobre as verdadeiras causas da operação, da longa recuperação e da data de seu regresso à Venezuela.

Na segunda-feira, o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, que entrou em contato com autoridades de Caracas, afirmou que seu Chávez "está bem" de saúde. No último fim de semana, o jornal de Miami El Nuevo Herald publicou a informação de que o estado de saúde de Chávez é crítico e que ele sofreria de câncer de próstata .

Oposição

Na segunda-feira, a oposição venezuelana tornou-se mais estridente em seus pedidos de informação a respeito da saúde de Chávez, e os títulos da dívida pública registraram forte alta, refletindo as especulações de que o líder socialista estaria gravemente doente.

"Após 21 dias da ausência de Chávez, o país está piorando, e o governo permanece abissal", disse o ex-candidato a presidente Manuel Rosales em nota, referindo-se a um giro latino-americano iniciado no Brasil em 6 de junho. "A nação precisa de uma mensagem clara que acabe com essa especulação nacional e internacional, e também com o desconforto e a suspeita causados pelo misterioso silêncio."

A saga expõe o domínio que Chávez, um ex-militar de 56 anos, exerce sobre a cena política do país petroleiro, e também a falta de um sucessor óbvio. Uma fonte governamental disse à Reuters que cirurgiões cubanos operaram o presidente antes que uma peritonite - inflamação da cobertura abdominal, não fatal - se instalasse, e que ele está se recuperando bem. Já uma fonte americana de segurança nacional disse que "é um problema sério, mas ele pode muito bem se recuperar".

Os títulos soberanos da Venezuela se valorizaram por causa da crença dos investidores de que a doença de Chávez pode reduzir as incertezas políticas na Venezuela e ampliar as chances da oposição na eleição de 2012. "Esse é potencialmente o grande negócio para 2012. Se você entrar nele, fechará seus P&L (prejuízos e lucros) pelo ano todo", disse Siobhan Morden, chefe de estratégia latino-americana da RBS.

Mas, em meio a rumores contraditórios, alguns especialistas alertam para os riscos da falta de informações específicas. "Em termos do impacto sobre a dívida venezuelana, alguns veem a saúde de Chávez e a sua capacidade de disputar a reeleição como binárias, enquanto outros são mais cautelosos, inseguros sobre as implicações de um potencial vácuo de poder", afirmou um analista de Wall Street à Reuters.

Prazo

A próxima semana é vista pelos investidores como uma espécie de prazo: se Chávez comandará ou não a cúpula regional de 5 e 6 de julho na ilha Margarita, coincidindo com o bicentenário da independência. E alguns veem o silêncio como uma estratégia para chamar a atenção da mídia antes do evento.

As únicas fotos divulgadas desde a cirurgia mostram Chávez em Havana, vestindo agasalho esportivo e ladeado pelos irmãos Fidel e Raúl Castro, respectivamente ex-presidente e presidente de Cuba. Russ Dallen, chefe de operações da BBO Financial, em Caracas, lembrou que Chávez e Fidel são "showmen" carismáticos que já desapareceram na esperança de que seus seguidores clamassem por seu regresso.

"Será que Chávez foi realmente operado? Provavelmente. Mas será que o governo dele e de Cuba não estariam tentando acobertar isso se houvesse realmente algo com que se preocupar, divulgando fitas e gravações de áudio previamente inéditas?"

Henrique Capriles Radonski, considerado o principal nome da oposição para enfrentar Chávez no ano que vem, disse à Reuters que também vê o sumiço chavista como uma manobra para lhe garantir um regresso triunfal antes da data cívica de 5 de julho. "Eu o vejo voltando e dizendo que a mídia gringa o tomou como morto, e que a oposição venezuelana desejava sua morte. Pelo contrário, e digo isso como aspirante ao cargo", afirmou.

*Com Ansa e Reuters

    Leia tudo sobre: venezuelahugo chávezcirurgiacuba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG