Chávez rejeita falar de relaxamento de restrições dos EUA a Cuba

Caracas, 14 abr (EFE).- O presidente venezuelano, Hugo Chávez, não quis hoje se pronunciar sobre a decisão do líder americano, Barack Obama, de levantar as restrições de viagens e envios de remessas a Cuba, alegando que não pode falar pela ilha.

EFE |

"Eu não posso falar por Cuba, vamos esperar" o pronunciamento do presidente cubano, Raúl Castro, que "deve chegar depois de amanhã (quinta-feira)" à Venezuela para participar "da Cúpula da Alba (Alternativa Bolivariana para as Américas)", afirmou Chávez ao ser perguntado sobre o assunto pelos jornalistas.

Em entrevista coletiva conjunta com o presidente colombiano, Álvaro Uribe, em visita de trabalho à Venezuela, o líder venezuelano disse que a decisão dos Estados Unidos era uma "medida unilateral", cujo "alcance", acrescentou, desconhece.

"Ainda não temos informação completa sobre o alcance dessas medidas. Não queremos nos antecipar", afirmou Chávez.

Ele acrescentou que abordará o assunto "esta noite" com o chanceler cubano, Bruno Rodríguez, que se encontra em Caracas junto a uma delegação de Cuba, durante uma reunião na sede do Governo venezuelano.

Rodríguez faz parte da representação cubana liderada pelo vice-presidente do Conselho de Ministros da ilha, Ricardo Cabrisas, e integrada também pelo ministro de Investimento Estrangeiro, Rodrigo Malmierca, que chegou hoje à Venezuela para participar da Cúpula da Alba. EFE gf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG