Chávez quer restituir o nome indígena do Salto Ángel

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, pediu que a mais alta catarata do mundo, o Salto Ángel, seja chamada novamente por seu nome original, Kerepakupai-Meru. A catarata, no sul da Venezuela, tem uma queda de quase 1 quilômetro de altura e foi chamada de Ángel em homenagem a um aviador americano que, acredita-se, foi o primeiro indivíduo de fora da área a avistá-la, na década de 1930.

BBC Brasil |

Chávez quer que seja restituído o nome usado pelos índios Penom, que vivem na região.

O presidente venezuelano, que vem acusando os Estados Unidos de tramarem contra o seu governo, disse que milhares de indígenas viram a queda d'água antes que Jimmy Angel a tivesse "descoberto".

'Nome difícil'
Em seu programa semanal de TV, Chávez perguntou aos venezuelanos como eles podem aceitar a ideia de que "a mais alta catarata do mundo tenha sido descoberta por um homem que veio dos Estados Unidos de avião".

"Com todo o respeito àquele homem que veio, que a viu, nós deveríamos mudar este nome, certo?", argumentou.

Chávez disse inicialmente que o nome deveria ser "Churun-Meru", mas depois se corrigiu no ar ao receber um bilhete de sua filha Maria, dizendo que o nome que os índios Pemon deram à catarata era Kerepakupai-Meru.

Depois de vários minutos praticando a pronúncia do nome, o presidente disse que já conseguia dizê-lo corretamente.

"Este é o nome ... o nome dos índios", afirmou.

A catarata está entre as atrações turísticas mais famosas da Venezuela.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG