Chávez quer referendo para reeleição presidencial em fevereiro

CARACAS (Reuters) - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse neste domingo que o referendo para eliminar o limite à reeleição presidencial deveria ser em 15 de fevereiro de 2009, e afirmou que se estuda a possibilidade técnica de realizar a disputa nesta data. A proposta, incluída em uma ampla reforma da Constituição, fracassou em 2007. Segundo o militar aposentado, a população não entendeu a reforma e agora leva adiante uma mudança pontual para fazer uma emenda que suprima a cláusula de que o presidente pode se reeleger uma só vez, do artículo 230.

Reuters |

"O referendo poderia ser em fevereiro, não? Saiu no (jornal) Ultimas Noticias ontem (...) uma data de 15 de fevereiro", disse Chávez em seu programa semanal de rádio e televisão, "Alô, presidente". "Já o estão estudando do ponto de vista técnico", acrescentou.

O diário local informou que a disputa seria em 15 de fevereiro citando "fontes técnicas". Originalmente, o mandatário a solicitou para fevereiro, mas algumas autoridades haviam assegurado que poderia ficar para março.

Chávez, que disse necessitar de mais tempo para concretizar sua "revolução socialista", afirmou que inclusive seus adversários estariam de acordo com a data por sua proximidade com o discurso do herói da independência Simón Bolívar perante o Congresso de Angostura.

A oposição, que acusa o presidente de querer se perpetuar no poder, anunciou dias atrás que iniciaria em janeiro a "campanha Angostura" contra a emenda.

Sem a emenda, Chávez, que já acumula quase uma década no poder, não poderá se candidatar às eleições presidenciais de 2012.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG