CARACAS (Reuters) - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, qualificou nesta quinta-feira de estúpida a realização de uma passeata mundial contra ele, convocada por um grupo de colombianos em vários países para protestar contra a sua política externa. A manifestação ocorrerá na sexta-feira em lugares tão díspares quanto Melbourne, Las Vegas, Tegucigalpa e Vancouver, sob o lema No más Chávez (Chega de Chávez).

"Vejo que estão convocando uma marcha mundial contra Chávez. Eu digo: que coisa tão estúpida!", afirmou o presidente socialista na Síria, por onde passou durante uma viagem por diversos países com credenciais democráticas questionáveis, como Líbia, Irã, Rússia, Belarus e Argélia.

A mobilização para as passeatas foi feita por intermédio da Internet, por um grupo no site Facebook (http://www.facebook.com/nomaschavez) com quase 500 mil membros e um canal no Twitter (http://twitter.com/NoMasChavez) com mais de 3 mil seguidores.

"Estamos cansados de que o presidente Hugo Chávez nos insulte, insulte a América Latina e o mundo, trate de nos impor por meio de mentiras, medo e má educação sua revolução anacrônica e delirante", de acordo com a página dos organizadores (http://www.nomaschavez.org).

Chávez está novamente em atrito com seu homólogo colombiano, Álvaro Uribe, devido à ampliação da cooperação militar entre Bogotá e Washington, que o presidente venezuelano vê como uma "ameaça" ao seu projeto socialista.

"Vá e marche contra Chávez, porque não é contra Chávez, é contra os povos", desafiou o presidente em entrevista coletiva transmitida pelo canal de televisão Telesur.

Seguidores de Chávez, que diz realizar uma revolução socialista, prometem realizar passeatas alternativas na sexta-feira para demonstrar que Chávez, além de ser popular na Venezuela, também tem uma boa imagem no exterior.

(Reportagem de Enrique Andrés Pretel)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.