Chávez promulga lei de educação que provocou protestos

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, promulgou no sábado a nova lei de educação, aprovada quinta-feira no Parlamento em meio a muitos protestos.

AFP |

Em um teatro de Caracas, o presidente assinou a nova lei, rejeitada pela oposição, estudantes e reitores universitários.

"É a lei que abre caminho para a educação liberadora. Ainda há muitas correntes a quebras, as do colonialismo e atraso cultural, para a revolução profunda, a criação do homem e mulher novos, a revolução socialista", declarou Chávez.

"A democracia verdadeira só poderá existir no socialismo", insistiu.

Na sexta-feira, representantes da oposição venezuelana anunciaram uma grande mobilização nacional para pedir um referendo sobre a lei, que consideram inconstitucional.

Os críticos afirmam que a nova lei concede um papel onipotente ao Estado e prevê uma doutrinação, de acordo com os postulados do governo Chávez, que defende um "socialismo do século XXI".

"Saíram a provocar, ameaçam que vão queimar a lei, que não vão cumprir. Estão enlouquecidos e peço que reflitam. Esta lei vai beneficiar todo o país, eles também. Estão tentando desestabilizar com um protesto violento", declarou Chávez no sábado.

bl/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG