Chávez promete vencer batalha contra o câncer com povo venezuelano

Multidão se reúne perante Palácio de Miraflores após presidente venezuelano voltar a Caracas depois de tratamento em Cuba

iG São Paulo |

AFP
Presidente da Venezuela, Hugo Chávez, saúda partidários em Caracas
O presidente venezuelano, Hugo Chávez, prometeu nesta segunda-feira a milhares de partidários que vencerá a "batalha pela vida" após ser submetido a uma cirurgia por um câncer em Havana. "Também essa batalha venceremos, e a venceremos juntos", afirmou Chávez, que iniciou seu pronunciamento afirmando que "se iniciou o retorno" e agradecendo as manifestações de apoio desde que se ausentou do país havia quase um mês.

A promessa foi feita do balcão presidencial nesta segunda-feira do Palácio de Miraflores, sede do governo da Venezuela, após retornar de Cuba durante a madrugada. Antes de discursar, Chávez, vestido de militar, segurou a bandeira do país e depois cantou o hino nacional acompanhado pelos partidários, entre os quais havia desde crianças a idosos.

Em seu pronunciamento, Chávez afirmou que ainda não venceu a batalha contra o câncer, mas assegurou que vencerá a doença juntamente com o povo venezuelano. "Que ninguém ache que minha presença aqui neste 4 de julho significa que vencemos a batalha. Não. Apenas começamos a vencer o mal que se incubou em meu corpo, quem sabe por quê", disse.

Sem detalhar qual tipo de câncer tem, Chávez relatou um pouco o período de internação em Havana. Segundo o presidente venezuelano, ele recebeu a notícia sobre o tumor quando se preparava para retornar à Venezuela após ser submetido à primeira cirurgia por um abscesso na zona pélvica .

"Os dias que passaram não foram fáceis. Sobretudo depois daquela tarde em que estava quase pronto para voltar, depois da primeira intervenção cirúrgica que achávamos que não teria consequências mais graves, o próprio Fidel Castro me visitou para me dar a notícia do tumor maligno. A segunda intervenção foi profunda, de mais de seis horas. Entreguei-me a Deus, à ciência e a esse grande amor e paixão que graças a vocês levo em meu coração", afirmou.

De acordo com o presidente venezuelano, ele foi submetido à segunda intervenção em 20 de junho, tendo de ficar quatro dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Segundo Chávez, o fato de poder ter voltado a Caracas dez dias depois de sair da UTI é uma mostra de quanto sua recuperação vem sendo boa. "Aqui estou poucos dias depois; é quase um milagre em comparação como estava", disse.

Os partidários se aproximaram do Palácio de Miraflores várias horas antes do horário previsto para a aparição do governante, às 17 horas locais (18h30 em Brasília). Ele começou o seu pronunciamento, porém, após as 19h15 de Brasília e falou por mais de meia hora. "Todos estão ansiosos para vê-lo. Todo o povo quer saber o que acontece com o presidente, queremos vê-lo e chegou o momento", disse Luis Pérez, de 32 anos, antes do pronunciamento do presidente.

Yolanda Blanco, de 66 anos, estava visivelmente emocionada por ver Chávez, por quem são celebradas "muitas missas" na sede governamental, disse ela, que está abrigada no Palácio de Miraflores desde as fortes chuvas registradas no país em dezembro.

"Ninguém esperava que ele fosse vir. Nós damos graças a Deus porque, sem ele, não sei o que será da Venezuela", disse, por sua vez, Jaqueline Sánchez, de 29 anos.

O retorno ocorreu um dia antes das comemorações do Bicentenário da Independência do país, as quais Chávez anunciou que não comparecerá. "Não acredito que possa acompanhá-los nos atos oficiais amanhã (terça-feira), mas estarei aqui e com vocês no meu posto de comando no coração de Caracas e da Venezuela", disse à VTV.

"Pensávamos que a festa (Bicentenária) seria triste. Agora realizaremos uma dupla comemoração por causa da volta de Chávez e do aniversário dos 200 anos de nossa independência", disse uma seguidora do líder venezuelano.

Novo gabinete

Antes do pronunciamento de Chávez, o vice-presidente venezuelano, Elías Jaua, afirmou, sem dar detalhes, que o presidente organizará sua equipe de trabalho "para a nova etapa que vem". Segundo Jaua, entre quarta e quinta-feira será pautado um Conselho de Ministros.

O vice venezuelano também afirmou que Chávez se encontra no Palácio do Governo por não precisar ser internado . "Está agora no palácio, não necessita neste momento de atenção especial hospitalar, pode fazer seu tratamento na residência onde se encontra", disse.

Após pousar na Venezuela, Chávez garantiu que estava "bem", mas deixou claro pouco depois que esse era "o início do retorno", o que mantém aberta a incógnita sobre se permanecerá no país ou voltará a Havana para continuar com o tratamento médico do qual se desconhecem os detalhes.

A TV estatal venezuelana exibiu um vídeo de Chávez deixando Havana e descendo do avião, por volta das 2h no horário local (3h30 de Brasília) no aeroporto de Maiquetia, nos arredores da capital, Caracas. "Estou bem, estou feliz", afirmou o líder ao desembarcar.

Segundo Jaua, Chavéz está "bom ânimo". "(Ele) está com bom ânimo, com muito entusiasmo e muita vontade de prosseguir na batalha por sua plena recuperação", disse em declarações à estatal Venezolana de Televisión (VTV).

O vice-presidente, que deu "graças a Deus" pelo retorno de Chávez após quase um mês de ausência, relatou que, durante o encontro transmitiu a ele "informações sobre o país" e "celebrou" o empate em 0 a 0 entre as seleções da Venezuela e Brasil pela Copa América neste domingo.

Jaua admitiu que "foram dias muito intensos e inesperados seguidos de esperança e depois de alegria pelo processo de recuperação do presidente". O vice-presidente afirmou que os venezuelanos estão "muito emocionados" e alegres por receber "o líder, o amigo, o irmão" Hugo Chávez.

*Com AP, Reuters e EFE

    Leia tudo sobre: venezuelachávezcubacâncer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG