Chávez prevê mais tensão com a Colômbia e volta a atacar EUA

Bogotá, 10 ago (EFE).- O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, previu mais tensões com a Colômbia e voltou a culpar os Estados Unidos pela atual crise na relação com o Governo de Álvaro Uribe.

EFE |

"A tensão vai apenas aumentar", afirmou Chávez, em entrevista ao jornal de Bogotá "El Tiempo".

Segundo o chefe de Estado, o atual problema com a Colômbia tem duas causas: o convênio que Uribe negocia para que militares americanos possam usar até sete bases colombianas e a "gigantesca mentira" sobre os supostos vínculos que teria com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Segundo Chávez, o acordo com os EUA para o uso das bases "agrava tudo". "Surge no horizonte o demônio da guerra. Os Estados Unidos querem evitar qualquer processo de união entre nós (sul-americanos)".

"Nem a própria Colômbia controlará as rotas, os horários, as missões. A informação vai ser secreta e vão gravar em território venezuelano. Vão estudar nossas vulnerabilidades. Vão semear a discórdia e vão voltar a me acusar de apoio à guerrilha (das Farc)", acrescentou.

Para o chefe de Estado venezuelano, o presidente Uribe "tinha prometido" que a Colômbia "não aceitaria um novo acordo desse tipo com os EUA".

"Estamos falando do império, e o império, uma vez que se instala, faz o que quer. Nem mesmo Uribe terá controle das ações que as tropas do império desenvolverem, ainda que com tropas colombianas", enfatizou.

"Das bases na Colômbia seria possível planejar qualquer tipo de ação, inclusive contra a própria Colômbia", acrescentou, frisando que está convencido de que foram os "chefes militares americanos" que deram "sinal verde" para o golpe em Honduras contra o presidente Manuel Zelaya.

Na opinião de Chávez, "a culpa é dos Estados Unidos", porque o presidente Barack Obama "está se desfigurando e pulverizando o discurso" que fez em abril, na Cúpula das Américas, "quando disse que as coisas iriam mudar".

Chávez acredita que o "empenho do império americano em satanizar a Venezuela" também está por trás das denúncias do Governo de Uribe sobre um suposto desvio de armas venezuelanas às Farc.

"Esta acusação absurda é uma falta de respeito do Governo de Uribe e um golpe muito duro para que os Governos possam levar relações normais, boas. Não há confiança", lamentou o presidente.

O novo acordo militar entre Colômbia e EUA também preocupou Governos de nações como Brasil, Equador e Bolívia. EFE mb/fk/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG