Chávez pede reativação de relações com Colômbia ao receber Uribe

CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, fez um apelo hoje para retomar o caminho e reativar as relações com a Colômbia minutos antes de receber o presidente colombiano, Álvaro Uribe.

Redação com agências internacionais |

Chávez fez as declarações à imprensa antes de cumprimentar Uribe, com quem trocou um aperto de mãos mão formal, sem efusividade, em um gesto que ambos repetiram para a foto oficial.

AP
Chávez e Uribe se encontram
O encontro aconteceu na entrada do Centro de Refino de Paraguaná, 500 quilômetros ao oeste de Caracas, onde está previsto que os dois governantes se encontrem.

"No fundo da minha alma, o que há com a Colômbia é afeto, é amor e é compromisso de irmandade verdadeira", disse Chávez, apesar de ter advertido de que o restabelecimento das relações "depende de muitas coisas".

"Há um potencial muito grande para a união de nossos povos, de nossas economias", afirmou o presidente venezuelano como antecipação à entrevista coletiva conjunta que dará com o governante colombiano hoje à tarde.

Uribe e Chávez percorreram o complexo petroquímico de Paraguaná, considerado o maior do mundo, onde esperavam trabalhadores da Petróleos de Venezuela S/A (PDVSA) para recebê-los.

Em seguida, ambos deram início a uma reunião privada.

Retomada das relações

O encontro de hoje, o primeiro desde o final de 2007, está voltado para fixar as bases de um diálogo respeitoso e construtivo e deixar para trás uma crise motivada fundamentalmente pela questão dos reféns em mãos da guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Devido a esta falta de entendimento, questões como a cooperação nos mais de 2.000 km de fronteira e as importantes relações comerciais entre ambos os países se viram afetadas sendo necessário reativá-las.

Por isso, no encontro, Chávez e Uribe assinam vários acordos e compromissos, entre eles um que aumentará a quota de veículos colombianos importados; outro sobre promoção e proteção recíproca de investimentos; um convênio para evitar a dupla tributação, além de um compromisso para facilitar a passagem de mercadorias na fronteira.

A Colômbia é o segundo parceiro comercial da Venezuela depois dos Estados Unidos e volume de negócios entre ambos os países beirou os 6 bilhões de dólares em 2007, com a maioria das vendas composta por produtos colombianos.

Os dois também assinam uma declaração de intenções para dar por concluídas suas diferenças dos últimos meses.

"Esta reunião é toda voltada para a intenção de reaproximação, retomada, cooperação, paz e integração da América Latina", declarou Chávez nesta sexta-feira.

Relações com Farc

As informações supostamente armazenadas nos computadores confiscados da guerrilha que, segundo Bogotá, mostrariam relações comprometedoras de Chávez com as Farc, só agravaram esta tensão bilateral.

Uribe chegou ao encontro com Chávez fortalecido depois do resgate de 15 reféns das Farc, entre eles a franco-colombiana Ingrid Betancourt.

Por sua vez, o líder venezuelano perdeu a posição de protagonista internacional que vinha ocupando, mudando de discurso em relação às Farc, às quais pediu que libertem todos os reféns e o fim da luta armada.

(*Com informações das agências EFE e AFP)


Leia mais sobre: Chávez - Uribe

    Leia tudo sobre: chávezuribe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG