Chávez pede a chefe militar boliviano que defenda Morales

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, fez um apelo neste sábado ao comandante em chefe das Forças Armadas da Bolívia, general Luis Trigo, para que defenda o presidente Evo Morales, e afirmou ter conhecimento de que as tropas bolivianas fazem uma espécie de greve de braços caídos.

AFP |

"Eu sei que esse general e outros generais têm lá (na Bolívia) uma espécie de greve de braços caídos, que permitiu que os fascistas paramilitares massacrassem o povo da Bolívia", declarou Chávez em um ato público no estado de Bolivar, 500 km a sudeste de Caracas.

Na quinta-feira, Chávez disse que caso seu amigo e aliado Evo Morales, pressionado por uma violenta crise política em seu país, seja "derrubado ou assassinado", ele interpretaria essa ação como "um sinal verde para apoiar qualquer movimento armado na Bolívia".

O general Trigo, por sua vez, leu um comunicado em resposta a Chávez afirmando que as Forças Armadas bolivianas não permitiriam ingerências estrangeiras em assuntos internos do país.

"Fiz uma declaração muito forte, reconheço, mas reafirmo: se Evo for derrotado ou morto, eu digo, não vou ficar de braços cruzados", advertiu Chávez neste sábado.

cd/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG