O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, negou nesta terça-feira ter um filho ilegítimo, desmentindo uma denúncia feita por um homem, identificado como Salomón Fernández.

"Há um rapaz por aí, há vários anos, que diz ser meu filho. Se isso fosse verdade eu o teria comigo, adoro meus filhos", disse Chávez em mensagem transmitida pela televisão estatal.

Chávez tem quatro filhos: Rosa Virginia, María e Hugo; do primeiro casamento, e Rosinés, uma menina de 11 anos, do segundo matrimônio.

"Dizem que tenho que fazer o exame de DNA. Neste caso não precisa porque nem conheço a mãe dele", comentou o presidente, suavizando logo após: "se houvesse alguma informação que me fizesse duvidar, seria o primeiro a doar sangue para o teste".

Salomón Fernández, de 30 anos que pretende se apresentar como candidato a governador do estado Carabobo (centro) nas eleições de novembro, disse à imprensa que sua mãe e o presidente mantiveram uma relação. Ela vivia na cidade de Maracay (80 km a sudoeste de Caracas), onde Chávez servia como militar.

Fernández e sua mãe afirmam que Chávez foi transferido para outra cidade antes do nascimento da criança.

"Quando o jovem nasceu não havia sequer chegado a Maracay", respondeu Chávez hoje.

O presidente venezuelano destacou que assistiu a vídeos do suposto filho, e pediu para que o caso seja investigado.

Chávez destacou ainda que Fernández e sua mãe são "corajosos", e "não agem de má fé".

"Ela (a mãe) até está me protegendo, foi cuidadosa e não diz que a abandonei, mas que nunca soube que ela ficou grávida".

Para Chávez, o caso é mais um plano de alguns meios de comunicação privados para manchar sua reputação.

pt/sd/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.